terça-feira, 5 de agosto de 2008

Lábios - "A cinza dos lábios vermelhos"




De volta depois de muitos e muitos dias... é claro final de férias nunca sobra tempo, acho que aproveitei até o último segundo e muito bem por sinal. Mas não estou aqui hoje para contar nada de como foram as últimas semanas e muito menos para falr dos planos que faço toda santa vez que começa um semestre. Horários e coisa e tal.






"A cinza dos lábios vermelhos"


De todos os toques que foram dados nos devidos lugares acariciados, eles se encontram em extremo prazer na noite chuvosa, calada e fria. Incessantemente eu passo para que nunca silencie aquele momento singelo. Com as mãos ao alto chego a implorar por um milagre. e nunca me canso da pele que toca a minha como veludo. Corrói.


São tantos versos e tantas hitórias, imagens que não cansam de correr pelos olhos que agora estão fechados, mas veêm porque sentem.


Ah não poderia ser tão mágico? Eu sinto no peito o coração pulsar mais forte que os tampores, sinto o ar rarefeito e meu corpo tende a cair. Eu vou cair.


São as mãos que seguram meu pescoço, pesadas, fortes e intensas tiram toda minha compostura de jovem moça. Eu não poderia pedir mais?


Eu poderia me jogar de cima da janela agora. Ou quem sabe subir infinitamente a escada dos sonhos. Ah, mas as mãos fortes me prendem, me guardam e salvam de tudo aquilo que pertence o meu mundo. O meu mundo nunca para. As mão me levam para longe, seria céu?


A seda branca que se encontra em baixo de meu peito é retirada lentamente e envolve todo meu corpo, fina. Delicada ao ponto de transformar meu corpo em seda também, eu poderia dizer o quanto é bom. As minhas mãos ainda estão sujas.


Por mais que eu tente minhas mãos estão sujas meu amor, é seu sangue que está nelas. Suas mãos tão fortes já não me pertencem mais, sonho estar no meu mundo caido. Abismo, socorro, loucura, porteção, monstros, medo, socorrooo...


Suas mãos são pesadas e doces as minhas leves e sujas, ~tão suja quanto um rato que vive dentro dos bueiros desta cidadade em caos.


O que farei? Acorde... o que farei?


O seu corpo?


Onde ficaraá?


Em cima do meu eternamente, ah meu amor vc é tão lindo que até dói. Corrói tanto, os sonos não me pertenciam mais de tanto amar-te. As risadas não eram minhas e sim dela. Eu njá não era a mesma, meu sorriso se alternava a cada olhar diante do espelho..


E assim me esqueci de você completamente e de sua mão forte que um dia me levou ao céu!






Boa tarde!

Um comentário: